Não vai ter… Eleições

Sendo o 10o estado com mais mortes por 100 mil habitantes, a intervenção no Rio de Janeiro não é um problema de segurança, mesmo porque a violência do carnaval não foi nenhum ponto fora da curva.

Pirotecnica? Tentativa de colocar Temer ou indicado como candidato viável para as eleições? Ao meu ver, é mais uma parte do Golpe, agora também militar.

Vejamos: alijamos a democracia ao tirar uma presidenta eleita via golpe parlamentar (se você ainda não se convenceu de que foi golpe, tem um botão aí acima para fechar essa página, nada aqui você vai concordar). O governo golpista, com o único propósito de vender o Brasil, tem aprovação pífia.

O principal candidato de centro-esquerda também está sendo golpeado, muito provavelmente será preso daqui a pouco e sua candidatura irá cair na lei da ficha limpa. Mesmo fora da disputa, não há o mínimo indício de que um candidato da direita irá conseguir vencer as eleições.

Fraudar as eleições? Com uma discrepância tão grande nas pesquisas, a marotagem usada, por exemplo, para eleger Bush Júnior vai dar muito na cara.

O que fazer?

Colocar os militares nas ruas e vielas do Rio de Janeiro parece ser um teste do que pode acontecer. Outros estados já pediram intervenção militar em seus estados.

Ao meu ver, e espero MESMO estar errado, já me parece um plano B para manter os golpistas no poder. Vamos colocando eles na rua, entrando nos estados como salvadores da pátria, e vamos tentar ganhar nas eleições.

A direita fica testando candidatos jogando matérias ao vento. Daqui um pouco Lula será oficialmente candidato fora da disputa e teremos que ver o plano B. Caso seja um novo candidato igualmente forte e liderando as pesquisas, os golpistas vão ficar cada vez mais sem saídas pseudo-legalistas.

E aí, é juntar a fome com a vontade de comer. Os militares já estarão pelas ruas, sendo aceitas pela população como os salvadores. O que eles fizerem lá em Brasília, com esse povo em transe, não será nada mais ou menos do que já fizeram. Sendo assim, cancelam-se as eleições por qualquer mudança tipo parlamentarismo ou o raio que o parta.

É pagar para ver…