Carta aberta ao Presidente Lula

Caro Presidente Lula, tudo bom?

Meu nome é Cesar Fuentes, e eu não sou ninguém. Apesar disso, sou um eleitor seu, e em até certa medida, um eleitor do PT.

Não votei em você em 2002, mas era um babaca. Usava o discurso padrão que você iria quebrar o Brasil, que era comunista, essas idiotices que por incrível que pareça, perduram até hoje.

Já em 2006 votei com gosto em vossa excelência, uma vez que tive o prazer de ser a primeira turma da Universidade Federal do ABC, que o Geraldo Alckmin dizia não existir.

Em 2010, votei na sua sucessora Dilma Rousseff, com um pezinho atrás da sua escolha, que depois se mostrou errada mesmo, vide seu segundo mandato e por consequência o impeachment.

Em 2014, precisei votar na Luciana Genro no primeiro turno, porque já estava meio cansado do lulo-petismo. Queria um contra-ponto. No segundo turno é óbvio que votei na Dilma, porque quarenta e cinco eu não consigo digitar nem aqui no teclado.

Estava lá em 31 de agosto (engraçado que não havia nenhum carro de som ou balão da CUT) e agora na sua condenação em segunda instância (esse sim uma manifestação “preparada”). Compareci nesses dias porque eu quero poder dizer no futuro onde estive nesses “dias chave” do Golpe modelo 2016.

Pois bem! Posto isso (o que dá pra deixar claro que sou um cara que jogo no seu time), venho por meio deste pedir encarecidamente que desista de sua candidatura para as eleições deste ano. Ué, estaria eu fazendo o jogo dos golpistas? Seria eu uma coxinha de mortadela? Calma lá, tenho minhas convicções, e vou listá-las abaixo:

  • o golpe já foi dado – eu assisti pela televisão a votação do impeachment, e uma coisa me chamou a atenção: tão logo saiu o resultado da votação, o senador Lindberg Farias já tinha pronta (e impressa) a defesa de Dilma Rousseff para não perder os direitos políticos. Até o Renan já estava com o discurso pronto, citando lá um ditado de sua terra que o cara pode cair do cavalo porém não precisa tomar coice, ou coisa parecida. Quando fui para a Paulista, só tinha a gente lá. Nenhuma autoridade, nenhuma entidade, nenhum lanche de mortadela. Pelo visto, era sabido por vocês o resultado daquela encenação toda, o que me deixa meio pistola por todas as vezes anteriores que fui protestar. Se já sabiam, sabem também que eles lá não estão nem um pouco preocupados em fazer as coisas corretamente desta vez;
  • você já entrou para a história – eles podem tentar o que quiserem tentar, você já entrou para a história como o maior presidente que este Brasil já teve. Não dê a eles a chance de estragar tudo o que você construiu enquanto imagem de estadista que foi no passado. Talvez, se você entrar, as coisas não aconteçam como nós gostaríamos que acontecesse;
  • a lei da ficha limpa valerá para você – eu acredito que vocês já sabem disso. É tanta falha nesse processo que é natural quererem esgotar todas as possibilidades. Mas vocês estão esperando retidão do lado de lá? Nunca acontecerá. Vamos ficar perdendo tempo precioso com chicana jurídica?
  • o Brasil está rachado – não adianta a gente negar isso. Que foram eles que racharam e convenceram uma parcela significativa da população que você e seu partido são a encarnação do capiroto, do sete peles, isso eu concordo. Porém, não quero apanhar na rua fazendo campanha para o meu provável candidato Ciro Gomes, já que pra eles somos tudo petistas. Sua intenção de voto é alta, sua rejeição também. Eles nunca darão o braço a torcer e se assumirão manifestoches, vão te odiar por um bom tempo ainda;
  • precisamos unir o campo progressista – corremos um sério risco de não voltarmos ao poder em 2019. Eu não conheço nada de estratégias de campanha política, mas acredito que, dependendo de quando sua candidatura for impugnada, não haverá tempo hábil para transferir seus votos a outro candidato. Vide o que aconteceu na eleição para prefeito em São Paulo: três candidatos mais ou menos identificados com a periferia batalhando um contra o outro. Deu no que deu;
  • se preferir, use seu plano B – Fernando Haddad está aí, prontinho da silva. Ele fez tanto pela educação que seu desempenho ruim na cidade de São Paulo em 2016 não deve ser parâmetro. Eu preferiria o dream team Ciro / Haddad, mas aí é sonhar muito alto que vocês do PT irão sair dessa crença de que só vocês falam pelo pobre no Brasil.

Se tudo acima não te convenceu, se apegue então aquele velho ditado chinês: nunca voltes a um lugar onde foste feliz.